sexta-feira, 15 de junho de 2018

Dossiê “Copas do Mundo” - Revista USP




A nova edição da Revista USP – de número 117  traz o dossiê “Copas do Mundo – Para Entender o Planeta Bola: O Futebol Muito Além das Quatro Linhas”, que reúne histórias e reflexões de especialistas sobre o fenômeno do futebol. 

O dossiê reúne seis ensaios. Três deles foram apresentados no 2º Simpósio Internacional de Estudos Sobre o Futebol, em maio de 2014. Gunter Gebauer traz o tema “Sobre a beleza do futebol”, Silvana Vilodre Goellner e Cláudia Samuel Kessler escrevem “A sub-representação do futebol praticado por mulheres no Brasil: ressaltar o protagonismo para visibilizar a modalidade” e Rafael Bayce questiona “A rivalidade Argentina-Brasil-Uruguai no futebol”.

O editor executivo da Revista USP, Jurandir Renovato, explica que este é o terceiro dossiê publicado pela revista sobre futebol. “O primeiro foi em 1994, na Copa dos Estados Unidos. Naquela época, o tema futebol ainda não era muito bem visto na Universidade e, portanto, sua discussão no âmbito acadêmico era bastante incomum” , lembra. “A Revista USP inovou ao colocar gente do porte de Roberto DaMatta, Nicolau Sevcenko e Décio de Almeida Prado para analisar com seriedade o universo do futebol no País. Em 2014, já na Copa do Brasil, a revista publicou não só textos de sociólogos, críticos e historiadores como também – e essa foi a novidade naquele número – de especialistas no aspecto propriamente técnico do esporte, coisas como táticas e desempenho de atletas.”

Revista USP número 117 com o dossiê “Copas do Mundo”, está disponível na íntegra aqui.



quarta-feira, 30 de maio de 2018

Conheça a Plataforma BDPI - USP


http://bdpi.usp.br/


No Brasil, o Currículo Lattes permanece como a principal fonte de informação das atividades desenvolvidas por pesquisadores, fornecendo dados de produção a diversos sistemas e plataformas institucionais. Indicadores gerados por sistemas internacionais de informação como a Web of ScienceScopus e, mais recentemente o Dimensions, têm sido agregados como fontes de dados a algumas plataformas, com maior ou menor sucesso. 

No esteio dessas tendências, a Biblioteca Digital da Produção Intelectual da Universidade de São Paulo (BDPI) é um sistema de gestão e disseminação da produção intelectual (científica, acadêmica, técnica e artística) gerada pelas pesquisas e atividades desenvolvidas na Universidade de São Paulo (USP).   

Funcionando como metabuscador, a BDPI congrega informações historicamente consolidadas a partir dos registros cadastrados no Dedalus (Banco de Dados Bibliográficos da USP) e na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) da USP, e integra com outros sistemas de informação, extraindo dados do Lattes e de bases indexadoras internacionais como Web of Science, Scopus e Dimensions. Dessa forma, proporciona, a partir de uma única interface, a descoberta, recuperação e rastreabilidade da produção científica e acadêmica dos pesquisadores, departamentos e unidades da Universidade.

Hoje, a Plataforma BDPI reúne mais de 767.800 registros cadastrados de produção intelectual gerada por pesquisadores da USP e 154.800 registros de teses e dissertações defendidas na Universidade. Diariamente esses números são atualizados, à medida que os bibliotecários cadastram novos documentos. Todos os registros podem ser localizados também pelo Google. 


A BDPI pode ser utilizada como plataforma de descoberta de artigos, trabalhos de evento, livros e capítulos de livro, teses e dissertações por assunto, autor e por unidade, expressando competências e especialidades dos pesquisadores da USP. 

A BDPI também pode ser usada como fonte de indicadores e métricas associadas às produções acadêmicas e científicas registradas, apresentando, a partir de facetas, as totalizações de produção por tipo de material, autor, ano de publicação, idioma, título da fonte, editora, idioma, agência de fomento, indexação em bases de dados, entre outras opções de recuperação de dados. Permite ainda a geração de Relatórios que podem ser visualizados na própria interface ou podem ser exportados em formato csv.


O objetivo da Biblioteca Digital da Produção Intelectual da Universidade de São Paulo (BDPIé ampliar a visibilidade e acessibilidade aos resultados das pesquisas realizadas na USP. Todos os registros possuem link para o texto completo, quando o mesmo está disponível e acessível na Universidade. De qualquer forma, no cerne da iniciativa está a ideia de promover o acesso aberto (open access) aos documentos na íntegra, democratizando esse acesso e estimulando o compartilhamento do conhecimento gerado.


                                 Leia o artigo na íntegra em:





Fonte: MURAKAMI, T.M. ; DUDZIAK, E.A. Plataforma BDPI revela indicadores e a produção de pesquisadores da USP. Disponível em: <https://www.sibi.usp.br/?p=20319> Acesso em: 30. 05. 2018.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

BMJ Best Practice – Trial na USP

Trial na Usp até 17 de Junho




https://bestpractice.bmj.com/


Best Practice é uma base de medicina baseada em evidências com o conteúdo totalmente em português, facilitando o acesso à informação de ponta para todos os profissionais da saúde — médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, etc — e não somente àqueles que dominam a língua inglesa, pois é totalmente em português.

Seu é conteúdo avalizado e respaldado por BMJ Group, um dos maiores grupos editoriais de medicina e saúde em todo mundo (responsável, entre outras publicações pelo The BMJ — British Medical Journal).

Acesso simultâneo, ilimitado e irrestrito a todos os membros da comunidade acadêmica e de pesquisa da USP.

APP - Disponível offline (sem necessidade de conexão à internet) através do app 
BMJ Best Practice, assegurando acesso ao conteúdo desejado onde é mais necessário: na beira do leito. Necessária a criação de uma conta pessoal no Meu BMJ Best Practice— com a conta criada, o acesso à informação de forma remota será liberado.

Deixe  sua opinião a respeito de BMJ Best Practice: envie sua avaliação para:

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Portal Colaborativo sobre AVC

A proposta do portal Rede ReabAVC, lançado em janeiro, é fornecer, de maneira gratuita e acessível, informações sobre acidente vascular cerebral, conhecido como AVC, para pacientes, familiares, cuidadores e profissionais especializados. Foi idealizado pela professora Camila Torriani-Pasin, da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP.

O site é alimentado por pesquisadores renomados de todas as regiões do País e especializados em diversas áreas da saúde: fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, enfermagem, terapia ocupacional, educação física, psicologia e nutrição. 

Entre os materiais disponíveis, encontra-se uma cartilha de orientações em saúde para pessoas com AVC. Essa cartilha foi desenvolvida pela equipe coordenada pela professora e aborda diversos aspectos da doença, fatores de risco, alimentação, prática de exercícios físicos, adaptações que podem ser feitas em casa para resolver problemas do dia a dia, dicas de segurança, entre outros. O material pode ser impresso e compartilhado.

Além das orientações e informações, a Rede ReabAVC possui um espaço para os pacientes enviarem suas histórias e compartilharem suas dificuldades e superações. As pessoas que trabalham na área também podem se cadastrar. Futuramente, será disponibilizado um banco de dados e serviços desses profissionais especializados.

O conteúdo é apresentado em linguagem simples e direta, no formato de texto ou vídeo, como abaixo:



Acesse e conheça:




quinta-feira, 3 de maio de 2018

Apoio ao Pesquisador




Você conhece a página do Sibi-USP 


Se não, está na hora de conhecer:


Escrita e Publicação Científica
Bases de Dados
Fontes de Informação
Identificação do Pesquisador
Dados de Pesquisa
Gerenciadores de Referências e Citações
Agências e Oportunidades de Financiamento
Integridade e Prevenção do Plágio


Acesse e Confira:







Imagens:

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Why scientists should communicate science


Artigo publicado  no blog da NatureJobs sobre a importância da comunicação científica na luta contra as fake news relacionadas à ciência.


In today’s world, it feels that scientific facts are increasingly under attack. As scientists, it’s tempting to reply by quoting impressive figures and statistics, brandishing our graphs, trying to win the argument.

But winning the argument isn’t the same as winning the person.


Dr. Eileen Parkes
Clinical postdoctoral fellow, Medical Oncology
Queen's University Belfast











Figuras: http://science.sciencemag.org/content/359/6380/1094.full

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Eventos



A 2a Escola de Pesquisadores da USP acontece nos dias 9 e 10 de maio do corrente ano, no Auditório “Prof. Sergio Mascarenhas” (IFSC/USP), com o objetivo de desenvolver, aprimorar e consolidar as habilidades necessárias à vida científica de pesquisadores em pesquisa básica e/ou aplicada, em temas ousados e de alto impacto, dando assim diretrizes para um melhor trabalho no estado-da-arte.

A Escola é dedicada a alunos de Pós-Graduação, Pós-Docs, Técnicos de nível superior e Professores pesquisadores, sendo o evento formatado para contemplar todas as áreas do conhecimento, incluindo ciências exatas, engenharias, biológicas, biomédicas e humanas/ sociais.

Espera-se que este evento promova a formação de pesquisadores de alto nível, treinados para reconhecer e atuar no estado-da-arte em suas áreas, e que possam gerar conhecimento e inovação relevantes para a sociedade, além de difundirem seus conhecimentos na formação de recursos humanos altamente capacitados e especializados.

A taxa de inscrição para este evento é de R$ 40,00, sendo que a organização está a cargo do Comitê Gestor do Portal da Escrita Científica do Campus USP de São Carlos.



Confira toda a programação da Escola nos links:



 Informações complementares poderão ser fornecidas através dos telefones (16) 3373-9778 / 3373-9779 ou pelo e-mail: escoladepesquisadores@sc.usp.br

*****************************************************

IV Congresso Internacional em Tecnologia e Organização da Informação

Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo

maio 21, 2018 – maio 25, 2018


O TOI - 4º Congresso Internacional em Tecnologia e Organização da Informação é iniciativa do Grupo de Pesquisa "Observatório do Mercado de Trabalho em Informação e Documentação (OMTID) - CNPq" da Escola de Comunicações e Artes ECA_USP em colaboração acadêmica e científica com o 15º CONTECSI FEA_USP.
O 4º Congresso Internacional em Tecnologia e Organização da Informação – 21 a 25 de maio, 2018 - tem como principal foco reunir especialistas, pesquisadores, estudantes e profissionais da área da Ciência da Informação: Biblioteconomia, Arquivologia, Museologia, e áreas  afins, com objetivo de promover a reflexão e o diálogo em torno de temas relevantes para a sociedade da informação: Gestão da Informação e do Conhecimento, Tecnologia e Sistemas de Informação, Biblioteca Digital, Conservação e Preservação da Informação, Ética da Informação, Tecnologia e Organização da Informação, Mercado de Trabalho do Profissional da Informação.
Tema: Gestão da Informação e do Conhecimento na Era Digital

Informações sobre a Conferência


quinta-feira, 29 de março de 2018

Programa Ciência Aberta


O programa mensal será realizado no auditório da FAPESP e exibido ao vivo pela TV Folha, pelo site da FAPESP e pela página da Agência FAPESP no Facebook. Uma versão editada estará disponível nos sites da TV Folha e da Agência FAPESP.


No programa de estreia os convidados serão os pesquisadores Licio Velloso, da Universidade Estadual de Campinas, e Carlos Augusto Monteiro, da Universidade de São Paulo, e a nutricionista Sophie Deram que discutirão os aspectos culturais e biológicos da obesidade.

O programa terá duração de 1h30 e será dividido em cinco blocos. Os espectadores poderão enviar perguntas pela página da Agência FAPESP no Facebook. Questões selecionadas serão respondidas pelos debatedores.

O primeiro episódio de Ciência Aberta será transmitido no dia 3 de abril, a partir das 15 horas, pelo site da FAPESP (www.fapesp.br), pela página da Agência FAPESP no Facebook (www.facebook.com/agfapesp) e pelo site da TV Folha (www1.folha.uol.com.br/tv).

O programa de TV Ciência Aberta abordará grandes temas em discussão na atualidade, mostrando que a ciência está perto da sociedade e contribui para dar respostas aos seus problemas e desafios.

Com um cenário moderno, dinâmico e ambiente descontraído, a proposta é apresentar ao público os temas em uma linguagem simples e ágil para estimular a participação de jovens pesquisadores, estudantes e público interessado – levando ao conhecimento da sociedade as pesquisas apoiadas pela FAPESP, bem como o intercâmbio e a divulgação da ciência produzida no Estado de São Paulo e no Brasil.

“Com o programa, esperamos responder à inquietação de que o que os cientistas fazem é incompressível e mostrar que não só é compreensível como pode beneficiar as pessoas. A série será uma maneira de os cientistas se comunicarem mais com a sociedade”, disse José Goldemberg, presidente da FAPESP.

A produção conjunta do programa Ciência Aberta faz parte de um acordo entre a FAPESP e a Folha de S.Paulo, que prevê ainda a publicação de reportagens da Agência FAPESP, em português, inglês e espanhol, nas edições impressas e on-line da Folha. 


quinta-feira, 22 de março de 2018

Novas revistas da Nature disponíveis na USP - Trial até 10.05.18



Trials para os novos títulos Nature CatalysisNature Electronics & Nature Sustainability estão disponíveis aos usuários da USP até dia 10 de maio de 2018, lembrando que a edição n. 1 dos três títulos estarão disponíveis para acesso durante todo o calendário 2018. Segundo pesquisa realizada pela equipe da Nature, esses títulos estão despertando muito interesse na comunidade.



Nature Catalysis reúne pesquisadores de toda a química e campos relacionados. A revista tem um interesse particular no trabalho aplicado que avança no nosso conhecimento e informa o desenvolvimento de indústrias e processos sustentáveis, fornecendo uma revista única para cientistas, engenheiros e pesquisadores da academia e da indústria.



Nature Electronics publica pesquisas fundamentais e aplicadas em todas as áreas da eletrônica, desde o estudo de novos fenômenos e dispositivos, até o projeto, construção e aplicação mais ampla de circuitos eletrônicos. Abrange também os aspectos comerciais e industriais da pesquisa eletrônica. Em essência, a revista está preocupada com o desenvolvimento de novas tecnologias e a compreensão do impacto desses desenvolvimentos na sociedade.


Nature Sustainability publica uma pesquisa original significativa de uma ampla gama de áreas de pesquisa que incluem ciências naturais, sociais e engenharia sobre sustentabilidade, suas dimensões políticas e possíveis soluções. Parte da missão da revista é facilitar o diálogo interdisciplinar sobre questões de sustentabilidade e reduzir o fosso entre pesquisa e formulação de políticas para garantir o impacto real da pesquisa.

Saiba mais sobre esses novos títulos da Nature: